ARRUMAR TRABALHO DÁ TRABALHO

Desde que a gente terminou a francisation do MICC nossa rotina se divide em cuidar da casa/filhos, preparar o terreno para a mudança do dia primeiro de Julho e, o mais importante, procurar emprego. Como os dois primeiros itens não têm nada de muito interessante, hoje eu vou falar um pouco como tem sido nossa experiência na busca pela primeira oportunidade de trabalho aqui.

Pra começar com o pé direito, eu optei por procurar a ajuda de um conseiller en emploi num centro que eu já mencionei, o L’Hirondelle. Fui super bem recebido. O meu conselheiro prestou toda ajuda que eu precisava. Mas antes é preciso dizer que nessa trajetória de imigração eu mudei de opinião diversas vezes sobre qual seria o meu futuro profissional no QC. Isso porque eu sou um técnico em tradução que nunca foi tradutor na prática, que estudou idiomas para um dia poder trabalhar na área de turismo, algo que também nunca aconteceu no BR, infelizmente. Mesmo assim eu tive tempo de me formar técnico em turismo, e me especializar em organização de eventos. Meu percurso profissional no BR no entanto foi 100% na área administrativa, voltado para customer services, em comércio exterior. Algo do qual eu já estava saturado mesmo antes de conhecer o processo de imigração. Ora eu achava que deveria estudar antes de qualquer coisa, ora eu percebia que o melhor era continuar fazendo a mesma m… que eu fazia no BR pela “facilidade”, ora eu decidia que iria fazer o que sempre sonhei. E assim foi durante toda a espera pela visto. Mas eu saí do BR decidido que deveria tentar algo em turismo/eventos.
Afinal, já que seria para começar do zero que assim fosse também no profissional. Além disso MTL é uma cidade turística e tem eventos o ano todo e sem dúvida uma chance iria aparecer, ainda mais pra alguém que fala 4 idiomas.

Apresentei toda essa história ao meu conselheiro. Ele me apoiou, elogiou meu francês e disse que eu estava pronto para começar a trabalhar. A gente precisou apenas definir algumas coisas já que turismo/eventos é algo muito abrangente, pra filtrar melhor essa busca por emprego. Daí que a gente conversou muito, ele me ajudou a definir melhor o caminho, vimos que muito da minha experiência no service à la clientèle pode ser utilizado aqui nas vagas que eu estou mirando, me ensinou algumas técnicas de recherche pro-active, mexeu no meu CV e na carta de apresentação. Foi um ótimo trabalho. Hoje eu me sinto mais seguro e sigo meu caminho sozinho. Já estou inscrito em tudo quanto é alerte-emploi, procuro direto com as empresas da área, comunidades, avisei os amigos, etc. Meu trabalho hoje é procurar trabalho! Vejo todas as propostas que aparecem, adapto CV e carta, faço o suivi… não é fácil. Aí vem a pressão do tempo que passa e nada de concreto acontece. Na semana que vem faz 1 mês que estou nessa e por enquanto tive apenas 2 entrevistas. Acho muito pouco pelo tanto que já me dediquei. Eu esperava muito mais retorno. Mas já ouvi dizer também que o ritmo de abrir vaga/entrevistas/contratar aqui também é bastante lento. Então, guardo a esperança e redobro o esforço. Aqui em casa de segunda a sexta no horário comercial e depois que a Laís dorme só se fala em “achar emprego”. E assim será até conseguirmos. Acho que esse é o último dos grandes desafios de quem passa por esse processo.

Ah! A gente já começou o outro curso de francês no Centre Lartigue. Nada de muito impressionante pra contar até agora. Tem sido bem “marromenos” pra falar a verdade. Estamos nele mais para ocupar nossas manhãs e praticar um pouco mais o idioma sem pirar em casa no desemprego.

A Lizie começou empolgada pra fazer 3 anos de graphisme. Mas depois de muito pesquisar viu que mesmo com as ajudas do Governo não ia rolar. Se ao menos ela tivesse um marido que trabalha em TI pra segurar as pontas… e com tristeza ela deixou de lado esse sonho por enquanto. Mas ela tem mais de 10 anos de experiência na área administrativa, conhece tudo de marketing, liderança e bureautique. Tenho certeza que em breve ela terá mais do que aquilo que teria depois de 3 anos de estudos.

Nosso maior desafio hoje é o francês. Não para uma entrevista de emprego pois a gente é capaz de se comunicar, mas para vender o nosso peixe com propriedade e passando autenticidade, afinal muitos dos nossos concorrentes são québécoises, uma competição bem injusta, fazer o quê? Sabemos que o jeito é começar “por baixo” e vamos encarar. Enfim, a gente aprende um pouco à cada dia, aprende também a manter a calma e a fé no sucesso que virá em breve.

Torçam por nós!

Anúncios
Esse post foi publicado em cotidiano, emploi, nouveux arrivants. Bookmark o link permanente.

9 respostas para ARRUMAR TRABALHO DÁ TRABALHO

  1. Pingback: PROCURANDO EMPREGO: O LADO PRÁTICO | Penso, Logo Imigro

  2. Les Lapins disse:

    Ô Thiagôôô, desanime nao meu caro…eu sei que “falar é fácil”, mas nao é só falando nao…aqui em casa também foi complicado de um lado (e olha que era TI heim??!!) e as vezes também batia um desânimo, foram mais de 6 meses procurando como você, em tempo integral…mais de 300 cvs, para umas…10 entrevistas?
    Mas quando finalmente depois que a bola passou pra dentro da trave a primeira vez, foi só golaço!
    Infelizmente o mercado aqui responde muito devagarinho para nosso ritmo (nós brasileiros que vivemos o fantasma da competitividade desde criancinha temos outro gás!), principalmente considerando que a gente chega com conta ja vencendo e sem conhecer o terreno, o que faz a ansiedade ir la pra cima.
    Tudo isso nao é para desanimar mais, mas apenas para dizer: nao leve para o pessoal, nao é nada de errado com você! É que aqui é assim que eles se comportam e a gente precisa manter a espinha ereta!! 😉 Continue fazendo o que está fazendo porque o caminho é esse mesmo.
    A Lizie poderá fazer o curso que deseja SIM, se nao agora, em breve! 😉
    Nao percam as esperanças nem o foco no que desejam! Tudo tem seu tempo certo!

    Abraços e um melhor semana!
    Erika

    PS: Também fiz Hirondelle, os achei muito legais, independente de tudo que fazem se converter em emprego ou nao, só considerando o apoio que dao num momento que a gente chega fragilizado e cheio de dúvidas, já é um achado! Ainda considerando que já viram tantos imigrantes de tao diversas origens e características passando por lá!

    • thiagoocampo disse:

      Érika,

      Obrigado! A gente precisa “ouvir” isso nessas horas. Sei q aqui a coisa é mais “morna”… mas a tensão aqui fica grande de vez em qdo. Mas ‘bora lá! Tá começando mais uma semana e a dedicação agora é total nesse tema. Estamos atacando em tds as frentes… alguma coisa tem q sair. Uma coisa é certa: td trabalho e esforço é recompensado uma hora. É nisso q estamos focando.

      Bjos e boa semana!

  3. Oi, Thiago!

    Então, imagino que trabalhar o lado emocional seja a parte mais difícil agora. Eu também sou uma pessoa super ansiosa e sei o quanto é difícil manter a calma e o otimismo quando as coisas não acontecem de maneira imediata. Eu me descabelo à toa, à toa quando o que eu quero não acontece rápido na minha vida!

    Mas isso que você está passando agora É a imigração… Tenho tentando me preparar para passar por isso também, porque acontece com quase todo mundo e é praticamente para isso que estamos saindo do Brasil. Na verdade estamos praticamente pedindo para passar por esses momentos chatos quando largamos o “certo” pelo “duvidoso”, não é mesmo?

    Tenho certeza de que em breve você vai encontrar alguma coisa. É só manter a calma (apesar da vontade de se descabelar) e estudar bem as suas estratégias, com a ajuda profissional do conselheiro e o que mais o pessoal oferecer para os recém-chegados aí! 🙂

    Abraço,
    Lidia.

    • thiagoocampo disse:

      Lídia,

      Vc está certíssima! Nós q escolhemos trocar o certo pelo duvidoso e eu estou ciente disso. Mas é mesmo o efeito rollercoaster do emocional q faz isso com a gente. Hj já estou mais animado, com a mão na massa e confiante de q nesta semana boas coisas acontecerão.

      Bjos

  4. gabi disse:

    bem, meu marido (quebeca) trabalha em serviço ao cliente … e tem 3 liguas (Ing, Fra e Alemao) … posso dizer que nessa area é beeeeeeeeeeeem dificil, entao nao ache que a dificuldade vivenciada para encontrar um job é so pelo fato de vc ser novo imigrante, nao!! Mais de 90% das vagas desse setor estao no *marché caché*, mas para achar essas vagas é preciso ter a tal rede de relacionamentos, que nao acontece de um dia pro outro. Talvez fazer um AEC (formaçoes mais curtas e mais especificas, com estagio) seja uma alternativa para aumentar essa *rede* e conseguir se inflitrar no marché caché ….

    Nessas horas, muita paciência…

    historia de familia = em 2011, quando voltamos para Montréal depois de 1 ano em région, marido levou quase 8 meses para arrumar emprego … e quando mudamos para Québec em funçao do mestrado ja estavamos nos preparando para uma longa espera, mas – surpresa – ele consegui um emprego temporario em menos de 1 mês, e esta la até hoje (desde setembro de 2012!).

    Montréal tem mais eventos e tudo mas tb tem mais gente e maior concorrência …. Empregos existem, mas é um trabalhao de formiguinha mesmo, o que nao pode é perder o ânimo.

    E eventualmente, aceitar mesmo que devemos descer alguns degraus para podermos encarar a escada de novo …

    bonne chance!!

    • thiagoocampo disse:

      Gabi,

      Obrigado pelas dicas e pela força! Hj é um dia na montanha russa da procura por emprego q eu estou lá embaixo, triste, decepcionado. Complicado trabalhar esse emocional. Mas vamos vencendo dia após dia. Entendo q a réseautage é essencial, mas como vc disse não de um dia pro outro. Resultado é a gente dar a cara a tapa e ligar pra essas empresas e pedir pra falar com o responsável pela contratação, entregar o CV em mãos e tal… algo pra poder “furar a fila” da pilha de CVs q são enviados. Sei lá… estou tentando de tds as formas. Sou ansioso por natureza e sei q isso tbm é reflexo dessa minha característica. Tbm não viro as costas para uma vaga em région. Se vier e pagar bem não tem nada q me prenda em MTL, eu vou. Vou começar a me dedicar às vagas fora daqui essa semana. Vou começar a abrir tbm um pouco o foco e ir além das vagas de eventos… vou ver algo em localisation, traducteur, e mesmo serviço administrativo onde tenho mta experiência. Au fur et à mesure… ahahaha!

      Um grande abraço e peço sua torcida e pensamento positivo!

  5. Camila disse:

    Assim como vc eu tb me formei numa área, trabalhei em outra, já pensei em mil e um caminhos diferentes para traçar por aqui, e ainda não cheguei à uma conclusão. Mas o bom da vida é que sempre podemos mudar de idéia e tomar um outro rumo. Fiquem calmos nessa nova busca,perseverem e vcs logo vão encontrar aquilo que procuram! Boa sorte! 🙂

    • thiagoocampo disse:

      Camila, obrigado pela força. Esse momento é duro pq um dia vc anima e acha q vai rolar, noutro vc entra na pior por ver q nada avançou… trabalhar o emocional é complicado. Mas vamos seguindo em nome do sucesso e uma certeza eu tenho… td trabalho é recompensado.
      Bjos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s